domingo, 17 de julho de 2011

O Astro

Em 1978, Janete Clair parou o Brasil com a telenovela O Astro. A pergunta que todo mundo queria saber a resposta: Quem matou Salomão Ayala? Claro que a trama não se resumia a isso. Era, na verdade, protagonizada por Francisco Cuoco como Herculano, uma espécie de guru com poderes místicos. Agora, a trama de Janete Clair está de volta pelas mãos de Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro em um formato especial.

A nova novela da Rede Globo é uma homenagem aos 55 anos de telenovelas no país, sendo exibida de terça à sexta, às 11 horas da noite. O mesmo formato de grade ocupado desde 1981 pelas minisséries. Mas, não tem como negar que o formato narrativo seja de telenovela. Vários núcleos, tramas paralelas, dinâmica do capítulo, e claro, o anúncio óbvio da chamada da emissora: "Vem aí, a sua nova novela das onze". E ao contrário dos demais remakes de Janete Clair, essa primeira semana agradou ao público, sendo primeiro lugar no Ibope.


O ritmo do primeiro capítulo foi bom, os atores estão bem no papel, o texto é ótimo e foi muito bem adaptado para nossa época atual. Já no segundo capítulo, a qualidade começou a cair um pouco, o tom já excessivamente melodramático de Janete Clair parece que foi elevado pelos adaptadores. A cena em que Márcio enfrenta o pai não chegou aos pés da original, por exemplo. E nem falo da interpretação de Thiago Fragoso, que mesmo não sendo um ator como Tony Ramos, conseguiu defender bem sua opção a la São Francisco de Assis. Mas, a direção da cena, já descendo as escadas tirando a roupa, a música, o texto mais emotivo. Perdeu.


Ainda assim, a trama traz curiosidade. Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a simbologia de chamarem Francisco Cuoco para interpretar o mestre de Herculano. O ator fez o protagonista de O Astro em 1978. Ele ensinar a Rodrigo Lombardi o caminho de seu sucesso não deixa de ser algo extremamente simbólico, como uma benção do elenco original para o novo. Dina Sfat, que interpretou Amanda na primeira versão, também está representada por sua filha Bel Kutner que faz parte da trama em um papel secundário, o de Sílvia. Se ela fizesse o papel da mãe seria uma bela homenagem, mas a atriz não tem tanta força, e Carolina Ferraz combina melhor com o papel. Fora isso, a caracterização da atriz está muito próxima de Dina Sfat. Cabelo, maquiagem, postura, tudo parece lembrá-la.

É importante também ressaltar a presença de Daniel Filho como Salomão Ayala já que ele foi o grande parceiro de Janete Clair, dirigindo a maioria de suas tramas, inclusive O Astro em 78. E Regina Duarte, como Clô Ayala, que interpretou algumas das heroínas mais famosas de Janete Clair como Simone de Selva de Pedra. Ou seja, o elenco foi escolhido com muito cuidado. Parece que tudo foi pensado nos mínimos detalhes para fazer eco à trama original. Resta saber se irá encantar o país da mesma forma.


4 comentários:

Kivia Nascentes disse...

Parece que todo está assistindo essa novela, e tenho visto ate ótimas criticas em relação a ela, mas ainda assim não consigo me interessar. Faz tempos que perdi o gosto por novelas, mas se eu pudesse assistiria o Clone, mas trabalho nesse horário.

De qualquer forma o post ficou muito bom e interessante, acho que depois dos comentários vou até dar uma olhada.
beijos!

Amanda Aouad disse...

A audiência faz parte da curiosidade por ter sido uma novela marcante no passado, Kivia. Entendo você, as novelas tem perdido o encanto mesmo, essa e Cordel Encantado são as que mais acompanho atualmente.

bjs

Isaac Abda disse...

Tenho acompanhado todos os capítulos de O Astro e curto, pois desperta em mim um sentimento pelas boas novelas, nunca mais presente. Parabéns pela crítica, acho louvável quando se faz não apenas engrandecendo a obra, o que seria até possível, mas se há alguns, ainda que poucos pontos a serem ajustados, é necessário e digno que se faça, desde que, obviamente respeitando e reconhecendo o profissionalismo e dedicação de quem está envolvido em sua produção.

Também destaquei alguns pontos a serem discutidos sobre a novela, em meu Blog. Se quiserem fazer uma visita, será uma honra... comentem pra que eu saiba da presença de vocês.

Um abraço!

http://possocontarcontigo.blogspot.com/2011/07/o-astro-um-acerto-da-globo.html

Lucas Andrade disse...

Olá! De fato, a caracterização das duas Amandas estão muito semelhantes. Carolina Ferraz foi a escolha perfeita!
Lucas - www.portalcascudeando.blog.com