sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Túnel do Tempo: O sexo dos Anjos

Começam burburinhos na internet de que a novela O Sexo dos Anjos será a substituta de Alma Gêmea no Vale a Pena Ver de Novo. Como "gato escaldado tem medo de água fria" eu só acredito vendo. Mas, aproveito a oportunidade para lembrar essa novela que foi uma das mais marcantes em minha vida.

O Sexo dos Anjos foi uma novela de 1989. Estreou no dia 25 de setembro, terminando em 9 de março do ano seguinte. Das novelas de Ivani Ribeiro na Rede Globo foi a que teve menos Ibope e é a menos lembrada. Talvez por não ter nenhum grande nome no elenco. Digo grande, no sentido do primeiro time de atores, sempre elevados a protagonistas como uma Glória Pires, uma Christiane Torloni, Antonio Fagundes, etc.

A novela era protagonizada por Isabela Garcia e Felipe Camargo, provavelmente pelo sucesso da minissérie Anos Dourados, onde faziam o triangulo amoroso principal junto a Malu Mader. Um fato que comprova essa tese é que Malu e Taumaturgo Ferreira (outro personagem marcante da minissérie), estrelavam a novela Top Model, no horário das sete, na mesma época. A trama ainda tinha nomes como Bia Seidl (em seu melhor papel na Rede Globo), Mário Gomes, Marcos Frota, Sílvia Buarque e Heloísa Mafalda, em sua inesquecível Francisquinha.

A história era um remake, assim como a maioria das novelas de Ivani na Globo, de O Terceiro Pecado, novela da autora na TV Excelsior na década de 60. Nela, Isabela (Isabela Garcia), uma garota doce e delicada estava na hora de morrer e o anjo da morte (Bia Seidl), envia o seu emissário (Felipe Camargo) à terra para buscá-la. Acontece que o rapaz percebe que a moça é muito boa e "não merece morrer". Ele tenta, então, negociar com a morte para que ela seja poupada. Os dois fazem um acordo. Para comprovar a pureza e o mérito de não morrer, Isabela não pode cometer pecados. Se assim o fizer, no seu terceiro ato ela será levada.

Resumindo assim tudo parece meio surreal e esquisito. Mas, o texto de Ivani Ribeiro não deixava nada ficar aquém do envolvente e adorável. Claro que existem os clichês. O emissário vai à Terra se figindo de humano e passa a conviver com a garota, se apaixonando por ela. Aqui, vemos também outra marca da autora que sempre coloca seus pares românticos para brigarem antes de se apaixonarem. Isabela odiava Adriano, aos poucos seu espírito começa a se encontrar com ele em sonhos e depois ela percebe que o ama. Aliás, as cenas de sonhos são as mais lembradas pelos fãs da novela.

Não vou falar nem mostrar muito mais, porque se o milagre acontecer dela ser reprisada a partir de março, vai ser inédita para muita gente. Fico por aqui apenas vibrando e relembrando. Seria uma bela homenagem a uma grande escritora e, quem sabe, corrigiria um pecado do não sucesso na época.

Um comentário:

Adriano Heart disse...

Nao me conformo de não ter feito sucesso na época!!