domingo, 6 de junho de 2010

Mário Gomes e o processo

Engraçado como a vida é. Hoje, dia 6 de junho, faz 27 anos que estreou a telenovela Guerra dos Sexos, uma trama farsesca que marcou a teledramaturgia brasileira e que não me canso de falar aqui. Apesar de um elenco com nomes grandiosos como Fernanda Montenegro, Paulo Autran, Tarcísio Meira e Glória Menezes, e de a única cena recordada na televisão ao falar dessa trama ser a famosa guerra de comida no café da manhã, havia muito mais naquela trama. E entre esse muito mais havia Nando. O motorista da família Pereira Barreto, o romântico ingênuo apaixonado por sua Juliana (Maitê Proença), que conquistou o coração de todo o país e terminou com a personagem de Glória Menezes, o que frustou alguns fãs.

Quem o interpretava: Mário Gomes, um galã em ascensão que apontava para uma carreira brilhante. Três anos depois, ele era o protagonista da novela seguinte do horário: o jogador de futebol Luca de Vereda Tropical. Aí veio Betty Faria, a paixão dos dois e o declínio de sua história. Na época, a atriz era mulher de Daniel Filho, que não engoliu a traição. Aliado a Carlos Imperial que teve um desentendimento com o ator por causa do cartaz de um filme, o boato ganhou corpo. Ele teria sido visto dando entrada em um hospital após um incidente com uma cenoura... Até uma enfermeira apareceu para testemunhar. Pessoas jogavam cenouras nas ruas em cima do ator. Um horror.

Nunca mais ele conseguiu um grande papel e chegou a cair no ostracismo. É verdade que Perigosas Peruas e Sexo dos Anjos lhe deram uma luz do que ele poderia ter sido, mas a maioria foi de papéis pequenos, quase não lembrados. O estranho é que, só agora, Mário Gomes vá entrar com um processo contra a Rede Globo e Daniel Filho, na época grande executivo da emissora. Realmente não entendo por que demorou tanto e por que resolveu desenterrar essa história agora. Vemos na internet que o boato ainda tem pequena força. Muitos ainda têm dúvidas, muitos ainda juram que foi verdade. Talvez por isso, ele queira deixar as coisas claras. O pedido de indenização é de 45 milhões por danos morais. Acho que dinheiro nenhum paga a nossa paz, mas quem vai desembolsar essa quantia?


O ator, provavelmente insatisfeito com os papéis de migalhas que lhe são dados, como o último em A Favorita onde era o assessor de Romildo Rosa, deve estar querendo algo mais. É fato, no entanto, que a beleza máscula que impressionava há trinta anos se perdeu e o talento do ator pode ter enferrujado. No lugar dele, eu não abriria esse processo agora. Não há como voltar atrás. Mas, quem sabe se faz justiça à memória de um homem.

4 comentários:

Augusto César disse...

Oi Amanda! Acabo de entrar em seu perfil, entrei no blog e decidi comentar. Parabéns pelo espaço!

Na verdade, nunca fui muito com a cara do Mário Gomes. Não sei, mas acho que sua voz me irrita (sempre irritou). Vendo por esse lado, até que achei válido esse boicote do Daniel Filho... Me fez um grande favor, rs.

Não vi "Guerra dos Sexos"; não é do meu tempo... Mas sou um noveleiro inveterado!

Por falar nisso, gostaria que visitasse dois blogs meus sobre esse mundo mágico que é a televisão. Aqui vão os links:

blogpanoramatv.blogspot.com
telememoria.blogspot.com

Vou voltar aqui mais vezes e colocar seus links nos meus blogs... Aguardo-te, querida!

Simplesmente Pat disse...

Eu achava ele lindo e essa relação com a Beth, aquela coisa de homem mais mais jovem com mulher mais velha é muito gostoso, rola muito tesão...Tenho essa imagem dos até hoje, parece que foi ontem como o tempo passa...Lamentavel a história dele!!

Tania disse...

Ótimo texto mas não escreva "Fazem 27 anos", o correto é "Faz 27 anos" - nesse caso o verbo fazer não flexiona, fica sempre no singular...

Tania disse...

Mário Gomes e Betty Faria se conheceram e namoraram durante as gravações de "Duas vidas", novela que foi ao ar muito antes de "Vereda tropical"... O Mário escreveu um livro a respeito do terrível boicoto que sofreu por causa dessa relação. Daniel Filho não perdoou, segundo ele.