segunda-feira, 20 de abril de 2009

Túnel do Tempo: dois clássicos de Ivani

O mês de abril é aniversário de estreia de dois clássicos de Ivani Ribeiro na Globo. A Viagem, que estreou dia 11 de abril de 1994 e A gata comeu, de 15 de abril de 1985.

As duas novelas são remakes de sucessos da Rede Tupi, A Gata Comeu tinha o nome de A Barba Azul, enquanto que A Viagem manteve o nome original. Mesmo assim, as duas novelas conseguiram bater recordes de audiência, sendo as novelas mais vistas em seus respectivos horários de todos os tempos. Além disso, ambas são as únicas novelas que já foram reprisadas duas vezes no Vale a Pena Ver de Novo, sendo ainda hoje pedidas novas reprises de fãs saudosos. E outro detalhe, ambas protagonizadas por Eva Wilma na versão original e por Christiane Torloni nos remakes.

Exibida originalmente as 18hs, A Gata Comeu contava a história de Jô Penteado, mulher que apesar de ficar noiva 9 vezes nunca chegava ao altar, sendo apelidada de "Lucrécia Borgia". Ela sofre por nunca ter se apaixonado de verdade até que conhece o professor Fábio, viúvo com dois filhos, e noivo de Paula. A princípio, uma birra recíproca atinge ambos, que aos poucos vão descobrindo estar apaixonados. A novela primava pelo lado cômico, com cenas de personagens atrapalhados e um grupo de crianças, que fundou o clube do curumim, atraindo o público infantil para novela.

Os doze primeiros capítulos mostra boa parte do elenco presa em uma ilha deserta e serviu de gancho para o romance conturbado dos protagonistas interpretados por Nuno Leal Maia e Christiane Torloni que demonstraram uma química perfeita tanto para as brigas quanto para cenas românticas. A novela atingiu 54 pontos no Ibope e foi líder do horário até 1993, quando Mulheres de Areia (outro sucesso da autora) conseguiu atingir 55 pontos. Uma novela que realmente, vale a pena ser lembrada.



A Viagem estreou em 1994, trazendo de volta as telas a atriz Christiane Torloni após uma estadia em Portugal por motivos pessoais. Tendo o espiritismo como mote, contava a história de Alexandre, um rapaz inconsequente que mata um homem para roubar e acaba se suicidando na prisão. Do outro lado da vida, ele vira um espírito obsessor tentando se vingar de seus desafetos, o advogado Otávio Jordão, seu irmão Raul e seu cunhado Téo. Dinah, sua irmã mais velha e que sempre fez de tudo para ajudá-lo, travará uma luta contra Otávio até o momento em que percebe que está apaixonada por ele. Ambos viverão um grande amor na terra e após a morte, quando juntos tentarão ajudar suas famílias e resgatar o espírito de Alexandre de volta para luz.

A novela conseguiu 52 pontos no Ibope, recorde não alcançado por nenhuma outra novela do horário e que dificilmente conseguirá ser superada, já que a audiência está mais diluída atualmente. Foi a última novela de Ivani Ribeiro que faleceu no ano seguinte, deixando orfãos os fãs da boa teledramaturgia brasileira.

A mensagem final da novela:
"Hoje, de algum lugar longe dessas terras. Há um doce olhar só pra você. Um olhar especial. De alguém especial, de distantes origens. Um olhar de um justo coração que pulsa só a vida. Que sorri porque ama plenamente. Sem julgamentos, preconceitos nem prisões. Hoje, como ontem, longe desses Céus. Há um encantador olhar só pra você. Nesse olhar vai para você a magia da luz. A simplicidade do perdão. A força para comungar com a vida. A esperança de dias mais radiantes de paz. Hoje, de algum lugar dentro de você. Alguém que já o amou muito e ainda o ama. Diz para você que valeu a pena ter estado nessas Terras. Sob estes Céus. Falando de união, paz, amor e perdão. Poder sentir a força que faz você sorrir. E continuar o caminho. Que um dia aquele doce olhar iniciou pra você. Tudo isso, só pra você saber que a vida continua. E a morte é uma viagem."



A Viagem é, sem dúvidas, a minha novela preferida de todos os tempos, foi a primeira comunidade que procurei no Orkut, tenho o livro da Tupi que conta a história da novela, tenho a novela gravada e reportagens da mesma. Acho que por isso, um rapaz do orkut me fez uma homenagem inesperada. Divulguei uma música minha (em parceria com Grace Gomes) por lá e ele fez um clipe com imagens da novela. A música é cantada pela baiana Stella e a letra, realmente, tem muito a ver com a mensagem da novela. Deixo claro apenas que não incentivei o ato espontâneo, só conheço o rapaz pelo orkut, e não costumo utilizar imagens da Globo em meus trabalhos, mesmo que gravadas de forma caseira, para não infringir os direitos autorais. Acho apenas que uma ação como essa é uma forma de divulgar ainda mais uma trama tão bonita que já merecia ter sido comercializada pela Globo para seus milhares de fãs.

2 comentários:

Robin disse...

Isso mesmo, amiga, a minha intenção é sempre divulgar os bons produtos da Globo que deram saudades, jamais concorrer com ela, nem ferir nenhum direitos. Tudo pela memória da televisão.
E viva a Dona Ivani Ribeiro que nos presentou com clássicos como Mulheres de Areia, O Sexo dos Anjos e Hipertensão, além desses dois citados no post, que também são meus preferidos.

Anônimo disse...

Uma louca daquelas, cruz-credo!